quarta-feira, 17 de julho de 2013

Você Quer Ser Escritor(a) - parte 10

VOCÊ QUER SER ESCRITOR(A)? – Veja como fazê-lo – parte 10
MILTON  MACIEL

Ontem eu lhes apresentei a lista da VEJA, de livros mais vendidos na semana passada. Hoje quero apresentar uma lista ainda mais dramática para os escritores brasileiros. Nela constam os

Lista 3 – OS 20 LIVROS MAIS VENDIDOS DE 2013 (ATÉ MAIO), NO BRASIL:

  1. Cinquenta Tons de Cinza - E. L. James – INTRÍNSECA
    2. Cinquenta Tons Mais Escuros - E. L. James – INTRÍNSECA
    3. Cinquenta Tons da Liberdade - E. L. James – INTRÍNSECA
    4. Morte Súbita - J. K. Rowling – NOVA FRONTEIRA
    5. A Guerra dos Tronos - George R. R. Martin – LEYA BRASIL
    6. Profundamente Sua - Sylvia Day – PARALELA
    7. Toda Sua - Sylvia Day – PARALELA
    8. A Travessia - William Young – ARQUEIRO
    9. A Fúria dos Reis - George R. R. Martin – LEYA BRASIL
    10. A Dança dos Dragões - George R. R. Martin – LEYA BRASIL
    11. O Festim dos Corvos - George R. R. Martin – LEYA BRASIL
    12. A Tormenta de Espadas  - George R. R. Martin – LEYA BRASIL
    13. O Hobbit  - J. R. R. Tolkien – MARTINS FONTES
    14. As Aventuras de Pi - Yann Martel – NOVA FRONTEIRA
    15. As Vantagens de Ser invisível - Stephen Chbosky – ROCCO
    16. Um Porto Seguro - Nicholas Sparks – NOVO CONCEITO
    17. A Cabana - William Young – SEXTANTE
    18. Assassin’s Creed | Renegado Oliver Bowden – GALERA RECORD
    19.  A Ascensão do Governador Robert Kirkman e Jay Bonansinga – GAL. RECORD
    20. 
    O Pequeno Príncipe Antoine de Saint-Exupéry – AGIR

Nesta lista os livros não estão agrupados por ordem de QUANTIDADE vendida, mas sim de EDITORAS mais bem sucedidas em vendas de títulos colocados nesta verdadeira parada de sucessos. Ou seja, o título em primeiro lugar não é o que mais livros vendeu.
E essa lista é válida até Maio somente, antes de chegar o blockbuster do momento, o novo livro de Dan Brown, Inferno, que é o paraíso da Editora Arqueiro no momento.

No paraíso também está a Editora Intrínseca que, além dos TRES livros da americana E. L. James, os Cinqüenta Tons de..., tem ainda, na lista dos mais vendidos de Junho, publicada ontem, os títulos A culpa é das estrelas, de John Green; A marca de Atena, de Rick Riordan; e O lado bom da vida, de Matthew Quick. Eis aí uma editora que está sabendo LER. Ler o que o leitor quer consumir. E, na sequência, está sabendo adquirir copyrights no exterior muito bem. Por que a briga de foice é feia nesse campo, meu amigo! Mas não é assunto para nós, que nos interessamos é pela posição do(a) AUTOR(A) brasileiro(a).

Evidentemente, como eu já escrevi antes e vivo repetindo para meus alunos:

Escrever livros é uma ARTE, mas publicar livros é um NEGÓCIO

Portanto, os editores, que vão investir dinheiro e esforço na produção e comercialização de livros, preferem apostar sua fichas num vermelho 17 que já está pré-garantido. Ou seja, já é um sucesso de vendas no exterior. Aí o editor investe na compra dos direitos para língua portuguesa, investe na tradução e pronto: tem garantia absoluta de que não vai ficar com um encalhe a lhe dar prejuízo. Quer dizer que esse investimento lhe dá um ótimo retorno, a relação custo/benefício lhe é extremamente vantajosa e o investimento em mídia e promoção é muito mais facilitado e mais baixo.

Isto é óbvio e vai ficar patente agora com o novo livro de J. K Rowling, a leonina Joanne Rowling que completará 48 anos no próximo dia 31 de Julho,  autora da fantasticamente bem sucedida série Harry Potter, que já vendeu quase MEIO BILHÃO de livros no mundo todo. Pois bem, em Abril, um certo e desconhecido autor, Robert Galbraith, lançou um romance de mistério – The Cookco’s Calling – que recebeu ótimas críticas e teve péssimas vendas: vendeu apenas 1500 lívros até agora, em Julho. Para a Inglaterra, é um fracasso editorial.

Mas, agora em Julho, vazou a verdade sobre o novo autor: “ele” é exatamente J. K. Rowling, escrevendo com pseudônimo. Ela disse que pretendia manter o disfarce por mais tempo, na expectativa de ver como um livro que escrevesse seria aceito, se não soubessem que ela era a autora.

A resposta está evidente: ela ficou feliz com a avaliação da crítica e se convenceu que seu NOME é capaz de vender qualquer coisa hoje. Então agora está sendo preparada na corrida uma nova tiragem de 300 000 exemplares do novo livro de J. K. Rowling “The Cookco’s Callling”! Mal vai dar para o começo.

E as editoras dos outros países já estão engalfinhadas em Mortal Kombats pelos direitos de publicação nos outros idiomas. Fala-se a boca fechada, que existe até uma delegação de Titan, uma das luas de Saturno, chefiada por Harry 24352, que quer publicar o novo livro de Rowling por lá – Um lugar onde metade da população de recém-nascidos recebe o nome de Harry e um número discriminativo, que, se for par, indica sexo feminino. A outra metade se chama ou Gandalf ou Hermione. Mas isso tudo é negado pelos governos dos países ocidentais, porque todo mundo precisa saber que alienígenas não existem fora das telinhas ou telonas. Embora digam, também a boca fechada, fechadíssima aliás (fechada dentro do aeroporto de Moscou), que o próprio Obama, pessoalmente, costuma abrir e-mails e ouvir conversas telefônicas dos titanenses (those bastard aliens!).

1500 para 300 000 = 1 para 200; o QUE QUER DIZER ISSO?

Quer dizer que a FAMOSA Joanne Rowlling vende 200 vezes mais que o EXCELENTE Robert Galbraith. 200 VEZES só para começar. Isso tem um nome, crianças, lembram?

Isso se chama PLATAFORMA!

E vem confirmar o que eu sempre afirmo:

Livraria não vende livro
Editora não vende livro
Quem vende livro é AUTOR!
(Entendeu agora, Robert Galbraith?! Poxa, custou, hein, seu cabeça-dura!)

Uma confirmaçãozinha adicional: observe o outro livro de Joanne Rowling, bem situado na lista de mais vendidos de 2013 no Brasil: Morte Súbita. Não teve da crítica a mesma acolhida entusiástica do livro de Galbraith. Mas é sucesso de venda igualmente, em todo o mundo, inclusive em terras tupiniquins. E (por favor, à boca fechada, hein, olha Moscou...) também em Titan.

Bem, mas deixando agora de lado a oportuna intervenção do nosso Galbraith de saias (não escocesas, kilt), vamos voltar a lista númEro três.

FATÍDICA! NENHUM(A) AUTOR(A) BRASILEIRO(A) no pedaço!!!

Amanhã continuaremos a exploração das listas e das conclusões – que suponho que já estejam ficando cada vez mais evidentes por si mesmas para leitoras e leitores. Garanto que vão acabar axiomáticas. Mas vou deixar um dever de casa com vocês. Usando a lista No. 2 – LIVROS MAIS VENDIDOS EM JUNHO como referência, olhe a vendagem no mês do último colocado da lista: Toda sua, Sylvia Day, Paralela, Ficção, 5 216 exemplares vendidos. Essa vendagem já foi maior e vem declinando.

Então vamos tomar esse livro só como uma figurinha para colar. O que eu quero é chamar atenção para esse número: 5 000 por mês. Que, se a venda fosse linear ou isso fosse uma média mensal, significaria 60 000 livros vendidos em um ano. Para Brasil, um grande sucesso editorial. Lá fora, nem tanto.

Agora o exercício:

Considerando que o SEU livro (Segredos Eróticos de Titan) seja vendido a 30 reais nas livrarias
Considerando que você receba 10% de royalty sobre o preço de capa = 3 reais.
Quantos livros você precisaria que fossem vendidos mensalmente para poder viver somente desse livro (durante um certo tempo, ele tem vida útil, não esqueça. Mas aí você lança outro!) e deixar todas as suas outras rendas pra lá?

Ex.:
  500 por mês =    6000/ano = 1500 reais/mês = 18 000 reais/ano; é pouco?
1000 por mês = 12000/ano  = 3000 reais/mês = 36 000 reais/ano; não deu?
2000 por mês = 24000/ano =  6000 reais/mês = 72 000 reais/ano; não esqueça que daqui para diante o LEÃO morde você pesado, vai ter que recalcular.

Divirta-se. Determine quantos livros de 30 reais você precisará que sejam vendidos todo mês para viver bem como ESCRITOR PROFISSIONAL. Viver BEM, só do que você escreve, publica e VENDE como livro. Desconfio que possivelmente você acabe ficando interessado em saber se existe algum outro caminho além desse, não é mesmo?

EXISTE!

Continua...




Nenhum comentário:

Postar um comentário